Busca:
Acesso Rápido:

Outras Informações Fatores de Risco

Fatores de Risco

Antes de tomar qualquer decisão de investimento, potenciais investidores devem considerar cuidadosamente todas as informações, financeiras ou não, disponíveis na Comisssão de Valores Imobiliários e neste website, em especial os riscos mencionados abaixo. Os negócios, situação financeira e resultados de operações da Lupatech podem ser adversa e materialmente afetados por quaisquer desses riscos e, por conseguinte, impactar negativamente os títulos emitidos pela Companhia. Os riscos descritos abaixo são aqueles conhecidos pela Lupatech, tem caráter exemplificativo que na eventualidade de ocorrência, podem afetar de maneira relevante a Companhia. Riscos adicionais não conhecidos hoje pela Lupatech ou irrelevantes também podem afetar os seus negócios.

Fatores de risco que possam influenciar a decisão de investimento 

a. Relacionados à Companhia

- As nossas receitas dependem em grande parte dos investimentos e despesas operacionais das empresas de exploração e produção (E&P), sendo a maior parcela de tais investimentos e despesas concentrados na Petrobras, que responde por parte significativa das nossas receitas. Os dispêndios e os pedidos das empresas de E&P poderão ser atrasados, reduzidos ou cancelados, o que poderia ter um efeito adverso significativo sobre os nossos negócios.

Somos uma empresa fornecedora de manufaturas e serviços principalmente para o setor de petróleo e gás, com exposição direta às fases de desenvolvimento e produção, sendo o desenvolvimento a etapa de construção da infraestrutura que, ao ser concluída, permitirá a produção de petróleo e gás, e a produção a etapa de extração do petróleo e gás, para qual prestamos serviços de manutenção da infraestrutura, bem como a venda de manufaturas para reposição. Parte significativa das nossas vendas está atrelada a projetos de um principal cliente, a Petrobras, diretamente ou por meio de empresas que prestam serviços a ela. Caso as empresas de E&P, especialmente a Petrobras, reduzam suas despesas e investimentos ou cancelem, reduzam ou atrasem nossos pedidos, a nossa capacidade de gerar receitas poderá ser comprometida, resultando em efeitos adversos significativos. 

- Produzimos manufaturas de alto padrão tecnológico e extremamente customizados e, por esta razão, estamos sujeitos a riscos operacionais relacionados ao uso das nossas manufaturas com aplicações críticas de alto risco operacional, bem como a riscos relativos a acidentes de grande porte ou perdas casuais e aos limites da nossa cobertura de seguros, o que pode afetar adversamente os nossos resultados. 

Algumas manufaturas e serviços ofertados por nós, em razão de sua natureza, trazem risco inerente e significativo de responsabilidade civil por danos a terceiros. Por exemplo, as nossas válvulas são utilizadas em plataformas de produção de petróleo e linhas de produção de empresas. Uma falha no funcionamento dessas válvulas pode trazer grandes prejuízos, como acidentes de grande porte ou perdas casuais, e a correspondente obrigação de indenizar os danos causados. Uma contingência significativa associada a uma falha em uma das nossas manufaturas pode afetar-nos adversamente. 

Adicionalmente, podemos não ser capazes de obter seguro para todos os riscos envolvidos em nossas operações em razão da falta de cobertura disponível no mercado ou em razão do elevado custo de tais coberturas. 

Mantemos contratos de seguro em diferentes modalidades, exigidas ou não por lei, tais como apólices de responsabilidade civil e de danos causados por incêndios, explosões ou queda de raios. No entanto, a ocorrência de perdas ou demais responsabilidades que eventualmente não estejam cobertas por tais apólices ou que excedam os limites destas poderão acarretar significativos custos adicionais não previstos, podendo nos afetar adversamente. 

- A nossa estratégia de crescimento prevê investimentos de capital que demandarão recursos financeiros aos quais podemos não ter acesso, o que poderá nos afetar adversamente. 

Nossa estratégia de crescimento poderá demandar dispêndios de capital significativos em nossos negócios e operações. Caso não obtenhamos receita, geração de lucro e de caixa suficientes de nossas operações e necessitemos de financiamentos, poderemos ter capacidade limitada para obter o capital necessário para suportar nossas operações futuras. 

Não é possível assegurar que as fontes de recursos estarão disponíveis, em termos aceitáveis ou em quaisquer termos, para nós no futuro, e quando necessário. Caso o acesso às linhas de crédito seja restrito ou o custo de financiamento aumente, as nossas operações podem ser adversamente afetadas. 

Os financiamentos futuros, se disponíveis, podem resultar em aumento nas despesas com juros e amortização, aumento nos níveis de alavancagem e redução de recursos disponíveis para financiar nosso crescimento. Caso não sejamos capazes de gerar ou obter capital adicional no futuro, poderemos ser forçados a reduzir ou atrasar nossos desembolsos de capital, vender nossos ativos ou reestruturar nossas dívidas, sendo que qualquer um desses eventos poderá afetar adversamente nossos negócios e nossa situação financeira. 

- O nosso nível de endividamento geral é significativo. estando a Companhia em Recuperação Judicial desde maio de 2015, onde a reversão desta situação depende do sucesso dos planos de readequação da estrutura financeira patrimonial da Companhia e suas Controladas, assim como o cumprimento do plano de recuperação judicial.

Nosso grau de endividamento é devido aos financiamentos obtidos para a execução de estratégia de crescimento, seja via aquisições ou expansão de capacidade industrial, favorecidos por um contexto internacional de crédito farto a taxas muito baixas, antes da crise internacional de 2008, onde a digestão de tantas aquisições se provou mais difícil do que o antecipado.

Sinergias previstas não se materializaram, resultando em uma rentabilidade inferior à prevista, ao passo que os juros começaram a subir, o Real se desvalorizou, e o preço do petróleo caiu.

Em conjunto, nosso principal cliente a Petrobras, passou também a enfrentar suas próprias dificuldades, reduzindo sobremaneira o seu nível de atividade terrestre e offshore, e desta forma começamos a enfrentar dificuldades para honrar compromissos financeiros, culminando assim com a Recuperação Judicial.

Para nos reorganizar e honrar passivos, precisaremos cumprir a proposta do plano de recuperação judicial, onde dentre as transformações requerem, principalmente, a venda ou desmobilização das atividades de serviços para petróleo e atividades no exterior, mediante a alternativa mais econômica que as condições de mercado permitirem, e concentração das atividades em manufatura, acelerando a atividade de nossas plantas fabris no Brasil.

- Dependemos da nossa capacidade de nos atualizar e desenvolver melhorias tecnológicas para cumprir com êxito as necessidades dos segmentos em que atuamos. 

Os segmentos em que atuamos estão sujeitos a rápidos e constantes avanços tecnológicos. Os nossos resultados positivos dependem de nossa capacidade de continuar a desenvolver melhorias em nossos processos e produtos e oferecer aos clientes soluções inovadoras que respondam às rápidas mudanças de padrão tecnológico e às expectativas do mercado em geral. Caso não sejamos capazes de desenvolver melhorias tecnológicas e novos padrões tecnológicos ou não obtenhamos sucesso na aquisição de novas tecnologias, seja por incapacidade de obtenção de recursos, fechamento de parcerias ou de retenção e contratação de pessoal capacitado, em tempo hábil e a custos acessíveis, podemos perder participação no mercado e sermos adversamente afetados. 

- Podemos não ser capazes de manter ou contratar um número suficiente de pessoal qualificado para o desenvolvimento dos nossos negócios, o que pode afetar adversamente os nossos resultados. 

Dado o alto teor de tecnologia acoplado às nossas manufaturas e serviços, e a importância do relacionamento comercial com nossos principais clientes, a nossa capacidade para nos tornarmos produtivos e rentáveis dependerá significativamente de nossa capacidade de atrair, treinar e reter executivos e colaboradores qualificados para o desenvolvimento dos nossos negócios. A demanda por trabalhadores qualificados é alta e a oferta é extremamente limitada no Brasil, especialmente durante os períodos de alta atividade no setor de petróleo e gás. O aumento nos salários pagos por nossos concorrentes poderá reduzir nossa mão de obra ou aumentar os custos de mão de obra a serem pagos por nós, ou ambos. Adicionalmente, a falta de mão de obra qualificada poderia afetar adversamente o desenvolvimento de nossas atividades, inclusive melhorias tecnológicas e novos padrões tecnológicos. O desligamento ou perda dos serviços de pessoas estratégicas e a incapacidade de atrair, treinar e reter um número suficiente de pessoal qualificado poderá causar um impacto adverso significativo sobre nossos negócios. 

- Podemos ser prejudicados por ausência de políticas financeiras de proteção cambial. 

A natureza de nossas operações nos expõe a flutuações em diversas moedas. No entanto, não utilizamos instrumentos financeiros e contratos de entrega física para proteger nossa exposição a tais riscos. Com a não utilização de operações de hedge, estamos mais suscetíveis à volatilidade das moedas e ao preço das commodities do que nossos concorrentes que realizam operações de hedge. 

Tais riscos poderão acarretar um efeito adverso relevante nos resultados das nossas operações e em nossa situação financeira. Nossa incapacidade de repassar esses aumentos ou custos operacionais imprevistos para nossos clientes poderá afetar material e adversamente o resultado das nossas operações e nossa situação financeira. 

- Possuímos contratos de longo prazo em curso que poderão não ser renovados, o que poderá nos afetar adversamente. 

O fornecimento de algumas das nossas manufaturas e serviços podem ser regidos por contratos de longo prazo de, por exemplo, 2 a 5 anos. A capacidade de renovar esses contratos ou obter novos contratos em termos similares ou melhores depende de condições de mercado. Poderemos não ser capazes de renovar nossos contratos vencidos ou obter novos contratos, e as condições de novos contratos podem ser piores que as atuais, o que poderia reduzir adversamente nossas receitas futuras e a nossa rentabilidade e, por conseguinte, afetar adversamente nossa situação financeira. 

- Somos e podemos ser parte de procedimentos judiciais, administrativos e arbitrais que, dependendo dos resultados, poderão nos afetar adversamente. 

Somos, e podemos ser no futuro, parte em diversos processos na esfera judicial e na esfera administrativa, incluindo ações cíveis, trabalhistas, tributárias, ambientais e/ou penais, assim como em procedimentos arbitrais. Não podemos garantir que os resultados destes processos serão favoráveis, ou, ainda, que terá provisionamento, parcial ou total, com relação a todos passivos decorrentes destes processos. Decisões contrárias à nós que eventualmente alcancem valores substanciais ou impeçam a realização dos nossos negócios poderão nos afetar adversamente. 

A forma de cálculo do nosso EBITDA (EBITDA Ajustado) pode não representar o nosso desempenho financeiro. 

O EBITDA (EBITDA Ajustado) não é uma medida de desempenho financeiro e não deve ser considerado como alternativa ao lucro (prejuízo) líquido, como indicador de desempenho operacional, como alternativa ao fluxo de caixa operacional, ou como indicador de liquidez. 

Nós calculamos o EBITDA como o lucro líquido antes do imposto de renda e da contribuição social, das receitas (despesas) financeiras e da depreciação e amortização (EBITDA Ajustado como o EBITDA ajustado pelas despesas e receitas extraordinárias ou não recorrentes ou não operacional). Em razão de nosso cálculo do EBITDA não considerar o imposto de renda e a contribuição social, as receitas (despesas) financeiras, a depreciação e a amortização (e no caso do EBITDA Ajustado também não considerar despesas e receitas extraordinárias ou não recorrentes ou não operacional), o EBITDA (EBITDA Ajustado) é caracterizado como um indicador de nosso desempenho econômico operacional geral, que não é afetado por alterações das alíquotas do imposto de renda e da contribuição social, flutuações das taxas de juros ou dos níveis de depreciação e amortização. 

Ainda, nossos auditores independentes não revisam, não aprovam ou emitem qualquer opinião sobre a forma de cálculo de nosso EBITDA (EBITDA Ajustado). Dessa forma, nosso EBITDA (EBITDA Ajustado) deve ser lido em conjunto com as demais informações financeiras, demonstrações financeiras e suas notas explicativas, contidas deste Formulário de Referência. 

Para maiores informações sobre o nosso EBITDA (EBITDA Ajustado), veja a seção 3.2. do Formulário de Referência. 

- Exposições a obrigações e contingências das empresas adquiridas

As aquisições apresentam risco de exposição às obrigações e contingências das empresas ou ativos adquiridos, devido a atos prévios de administração e responsabilidade anteriormente incorridas. O processo de duediligence. Caso existam contingências significativas oriundas das aquisições e que não tenham sido identificadas ou que, mesmo identificadas, levem a perdas em montantes superiores àquelas auferidos no processo de duediligence, estas poderão prejudicar adversamente nossas atividades e resultados.

- A combinação de certos riscos levaram nossos auditores a levantarem dúvida acerca da continuidade das nossas operações. 

Os riscos mencionados acima, notadamente aqueles que abordam a dificuldade na geração de caixa, aliados ao fato de termos gerado recorrentes prejuízos e ao fato da Companhia e suas controladas terem ingressado no processo de recuperação judicial, levaram nossos auditores independentes a incluírem no relatório sobre a auditoria das demonstrações financeiras um parágrafo de ênfase indicando a existência de incerteza significativa que pode levantar dúvida quanto à capacidade de continuidade operacional da Companhia.

- Atrasos na mobilização de contratos podem impactar negativamente em multas, penalidades e/ou cancelamentos de contratos aplicadas pelos clientes. 

Os riscos mencionados anteriormente podem ocasionar a incapacidade da Companhia em mobilizar os equipamentos e contratos ganhos juntos a seus clientes, gerando impactos negativos relevantes de multas, penalidades e/ou cancelamentos dos contratos a serem aplicados pelos clientes.

- A falta de certificações ou certidões relativas às nossas empresas ou unidades industriais pode impedir o fornecimento de bens e produtos a clientes importantes

Alguns de nossos clientes exigem certificações próprias ou de terceiros para que adquiram nossos produtos ou serviços. Tais certificações podem envolver aspectos diversos e em constante mutação, desde relativos à produção como legais, financeiros ou tributários. Notoriamente, a Petrobras certifica seus fornecedores segundo vários desses aspectos e exige  que não só suas compras diretas, mas também as de seus subcontratados, sejam feitos à fornecedores certificados.

As diversas certificações podem ser canceladas pelos mais diversos motivos e a empresa pode ver-se impossibilitada de fornecer volumes substanciais, afetando materialmente o seu resultado e o plano de negócios. Nem sempre temos controle sobre os eventos que podem gerar a eventual suspensão de certificados, e a retificação ou mitigação dos problemas pode levar tempos materialmente relevantes.

- A constrição de bens ou recursos por terceiros pode afetar nossa capacidade de operação ou a continuidade dos nossos negócios

A companhia possui um grande número de disputas administrativas e judiciais nas áreas cível, trabalhista e tributária. A Recuperação Judicial oferece determinadas proteções ante a possibilidade de constrição de bens ou recursos financeiros, mas essas proteções são frequentemente ignoradas por certas cortes que, por exemplo, bloqueiam valores e bens pertencentes à cia. Quando essas determinações afrontam o ordenamento legal, somos levados a tomar medidas judiciais que podem levar longo tempo a surtir os efeitos necessários, sendo que podemos não ter os êxitos desejados. A extensão, proporcionalidade e duração de tais medidas é imprevisível e pode ter impactos bastante significativos na cia. e em suas operações.

b. Relacionados ao nosso controlador, direto ou indireto, ou grupo de controle 

Não aplicável, dado que temos controle difuso, não possuindo acionista controlador ou grupo de controle. 

c. Relacionados aos nossos acionistas 

- Podemos não pagar dividendos ou juros sobre o capital próprio aos nossos acionistas. 

De acordo com o nosso Estatuto Social, devemos pagar aos nossos acionistas 25% do lucro líquido anual ajustado, calculado e ajustado nos termos da Lei nº 6.404/76, conforme alterada (“Lei das Sociedades por Ações”), sob a forma de dividendo ou juros sobre o capital próprio. Para maiores informações, veja o item 3.4 deste Formulário de Referência. O lucro líquido pode ser capitalizado, utilizado para compensar prejuízo, caso exista, ou então retido, conforme previsto na Lei das Sociedades por Ações, podendo não ser disponibilizado para o pagamento de dividendos ou juros sobre o capital próprio. 

Nos termos da Lei das Sociedades por Ações, os dividendos podem não ser pagos aos acionistas em qualquer exercício social, se o nosso Conselho de Administração decidir que tal pagamento seria desaconselhável diante da nossa situação financeira. Caso isso ocorra, os titulares de nossas ações podem não receber dividendos ou juros sobre o capital próprio. 

- A relativa volatilidade e liquidez limitada do mercado brasileiro de valores mobiliários poderão limitar substancialmente a capacidade dos investidores de negociar com ações de nossa emissão. 

O investimento em valores mobiliários negociados em mercados emergentes, tal como o Brasil, envolve, com frequência, maior risco em comparação a outros mercados mundiais, sendo tais investimentos considerados, em geral, de natureza mais especulativa. O mercado brasileiro de valores mobiliários é substancialmente menor, menos líquido e mais concentrado, podendo ser mais volátil do que os principais mercados de valores mobiliários mundiais, incluindo o dos Estados Unidos e os europeus. 

Essas características de mercado podem restringir substancialmente a capacidade dos investidores de negociar com as ações de nossa emissão ao preço e na ocasião em que desejarem, o que poderá, consequentemente, afetar adversamente os nossos acionistas. 

- Podemos precisar de recursos no futuro, os quais podem não estar disponíveis. A obtenção de recursos adicionais, bem como a conversão das debêntures conversíveis em ações já emitidas, pode diluir a participação do investidor no nosso capital social. 

Podemos vir a precisar de capital adicional no futuro, que poderá não estar disponíveis em termos favoráveis ou sob qualquer condição. Podemos vir a ter que captar recursos adicionais no futuro através de operações de emissão pública ou privada de ações ou valores mobiliários conversíveis em, ou permutáveis por ações. Qualquer captação de recursos através da distribuição pública de ações ou valores mobiliários conversíveis em ações pode ser realizada com a exclusão do direito de preferência dos nossos acionistas, o que pode resultar na diluição da participação acionária dos atuais acionistas.

d. Relacionados as nossas controladas e coligadas 

Riscos

- Perdas em processos cíveis, trabalhistas e tributários relacionados as Sociedades San Antonio 

Com a aquisição das Sociedades San Antonio o grupo Lupatech foi vitimado por centenas de ações cíveis, trabalhistas e tributárias. Tais ações podem resultar em perdas para a cia. que podemos não ser capazes de recuperar, seja parcial ou integralmente, dos antigos acionistas do grupo San Antonio.

- Perdas nas vendas de ativos utilizados nas operações de serviços

Ao descontinuarmos nossas atividades de serviços petroleiros, os equipamentos utilizados ficaram ociosos e foram disponibilizados para venda. Podemos realizar perdas com esses ativos provenientes das mais diversas causas, por exemplo e sem se limitar à:

  • Deterioração por falta de uso e manutenção
  • Roubo ou depredação dos equipamentos pela invasão dos locais onde são guardados
  • Custos e multas por descumprimento de regimes de admissão temporária
  • Custos para importação, reexportação ou destruição de equipamentos obsoletos
  • Inexistência de interessados na aquisição dos equipamentos
  • Custos com a armazenagem e guarda dos equipamentos

e. Relacionados aos nossos fornecedores 

- Podemos depender de fornecedores para obtenções de peças, equipamentos e matérias primas fundamentais para nossos negócios. Qualquer problema relacionado ao fornecimento desses itens poderá afetar adversamente os nossos negócios. 

Dependemos de fornecedores para obtenção de peças, equipamentos e matérias-primas fundamentais para nossas unidades de negócio, e que, em sua maioria, são certificados por entidades competentes ou pelos nossos próprios clientes finais. Esses fornecedores podem encontrar dificuldades no suprimento de tais materiais devido a diversos fatores, tais como a demanda não prevista de outros clientes, mau funcionamento de equipamentos e problemas de qualidade ou rendimento, atrasando ou impedindo a satisfação da demanda. Ainda, o preço das matérias-primas utilizadas pelos nossos fornecedores poderia aumentar, gerando a necessidade de incrementar os preços dos nossos produtos também. Se não formos capazes de repassar o incremento destes preços, os nossos negócios poderiam ser adversamente afetados. 

Os nossos negócios podem ser afetados de maneira significativa e adversa se um ou mais dos fornecedores sofrerem interrupções também significativas em nossas operações, afetando a qualidade, a disponibilidade ou a entrega oportuna de peças e equipamentos. Em virtude da dependência de determinados fornecedores, podemos não ser capazes de obter as peças ou equipamentos de que precisa em nossas operações em quantidade suficiente, com boa qualidade e em condições razoáveis. Dificuldades com fornecedores podem também causar perda de receitas, custos extras de fabricação e atrasos, afetando nossos negócios de maneira adversa e significativa.

Devido as dificuldades financeiras e situação de Recuperação Judicial que nos encontramos, muitos dos nossos fornecedores foram prejudicados e somente receberão seus créditos mediante as normativas e cumprimento do plano de recuperação judicial, podendo fragilizar o nosso relacionamento comercial e acarretar ruptura no fornecimento regular ou cancelamento de vendas. 

f. Relacionados aos nossos clientes 

- O cancelamento ou a redução de pedidos por parte do nosso maior cliente, bem como a nossa incapacidade em oferecer manufaturas e serviços a nossos clientes, poderá nos afetar adversamente. 

A maior parte das nossas receitas é proveniente de um principal cliente, Petrobras, e o cancelamento ou a redução de pedidos deste cliente pode ter um efeito adverso significativo sobre os nossos negócios. Veja o item 4.1 a. deste Formulário de Referência.

A Petrobras vem passando por dificuldades, agravadas pela drástica queda do preço do petróleo, onde reduziu sobremaneira o seu nível de atividade em produção terrestre e offshore, afetando adversamente nossa receita. 

Adicionalmente, os nossos negócios, em sua maioria, pressupõem relacionamento de longo prazo com clientes e contínua participação no desenvolvimento de novas manufaturas e serviços. As nossas manufaturas e serviços têm como características importantes os prazos extensos de especificações e desenvolvimento, de maturação de investimentos e de ciclo operacional. A competitividade a que estamos sujeitos baseia-se na capacidade de oferecermos manufaturas e serviços com custo, qualidade e prazos compatíveis com a demanda dos clientes. Por esta razão, caso algum concorrente consiga oferecer produtos em condições mais competitivas ou com qualidade superior à das nossas manufaturas e serviços, podemos ter dificuldades em encontrar novos mercados em um prazo curto suficiente para evitar um efeito adverso.

g. Relacionados aos setores de atuação da economia 

- Os setores em que atuamos, principalmente petróleo e gás e indústria em geral, tanto internacionalmente quanto no Brasil, podem enfrentar períodos de retração, o que poderá afetar adversamente os nossos negócios. 

Os setores em que atuamos, principalmente petróleo e gás e indústria em geral, tanto internacionalmente quanto no Brasil, são historicamente caracterizados por períodos de retração da oferta disponível, aumento de preços e margens altas alternados com períodos de excesso de capacidade, preço em declínio e margens baixas. Historicamente, essas indústrias têm enfrentado períodos de retração, o que geralmente acarreta a redução dos investimentos programados e postergação dos projetos de expansão. 

O setor de petróleo e gás depende de investimentos que são atrelados à capacidade financeira das empresas produtoras de petróleo e gás, que levam em consideração condições econômicas, políticas e ambientais, além de variáveis como o preço do barril de petróleo. 

A indústria em geral depende da situação econômica nacional e global, que viabilizam os investimentos em expansão de capacidade e manutenção de parques industriais, que nos beneficiam. 

Uma retração nas economias internacional ou brasileira, principalmente nos setores de petróleo e gás, da indústria em geral, poderá afetar negativamente a demanda e as vendas das nossas manufaturas e serviços, causando uma diminuição da nossa produção atual e do desenvolvimento de novas manufaturas e serviços, o que poderá nos afetar adversamente. 

- Alterações nas leis e regulamentos ambientais, de segurança e sanitária podem nos afetar adversamente. 

As nossas atividades estão sujeitas a uma rigorosa legislação ambiental nas esferas federal, estadual e municipal no tocante, dentre outros aspectos, à eliminação de resíduos sólidos e descartes de efluentes líquidos, industriais e sanitários, e necessitam de autorizações e licenças de agências governamentais. Na hipótese de violação ou não cumprimento de tais leis, regulamentos, licenças e autorizações, podemos sofrer sanções administrativas, tais como multas, revogação de autorizações e licenças, interdição temporária ou permanente, ou podemos ficar sujeitos a sanções criminais (inclusive nossos administradores), que tal como as sanções administrativas, podem ser agravadas em virtude da reincidência, independentemente da obrigação de reparar ou indenizar, no âmbito civil, os danos causados ao meio ambiente e a terceiros afetados. Podemos, ainda, ser obrigados a arcar com substanciais gastos ambientais corretivos. De acordo com a legislação brasileira aplicável, não há limitação no montante da indenização devida em relação à responsabilidade ambiental. 

Adicionalmente, a legislação ambiental nos impõe responsabilidade civil objetiva na hipótese de degradação ao meio ambiente. Deste modo, poderemos ser responsabilizados, independentemente de culpa ou dolo, por quaisquer danos causados ao meio ambiente no exercício de nossas atividades – ainda que o responsável direto pela execução da atividade seja ente terceirizado – ou em período anterior – no caso de existir passivo ambiental referente ao local de realização das atividades. 

Ademais, agências governamentais ou outras autoridades podem também editar novas regras mais rigorosas ou buscar interpretações mais restritivas das leis e regulamentos existentes, que podem nos obrigar a gastar recursos adicionais na adequação ambiental. Qualquer ação neste sentido por parte das agências governamentais poderá nos afetar adversamente. 

- Os nossos negócios dependerão das atividades de desenvolvimento e produção do setor de petróleo e gás no Brasil, o qual é afetado, significativamente, dentre outros fatores, pela volatilidade de preços do petróleo e gás. 

A queda desses preços poderá reduzir a demanda por nossas manufaturas e serviços e afetar adversamente os nossos negócios.

Os nossos negócios dependem significativamente do nível de atividade do setor de petróleo e gás, principalmente no Brasil, particularmente dos investimentos de empresas de petróleo e gás em operações de exploração, desenvolvimento e produção onshoree offshore. O nível de investimento depende em geral dos preços futuros do petróleo e gás, os quais são influenciados por diversos fatores que afetam o fornecimento e a demanda por petróleo e gás, incluindo, entre outros: 

  • condições econômicas mundiais; 
  • demanda por petróleo e gás; 
  • disponibilidade de crédito e preços; 
  • ações adotadas pela Organização dos Países Exportadores de Petróleo – OPEP; 
  • níveis de produção dos países que não fazem parte da OPEP; 
  • disponibilidade e descoberta de novas reservas de petróleo e gás natural nas áreas marítimas, principalmente no Brasil; 
  • custo da exploração e desenvolvimento offshore, produção e transporte do petróleo e gás natural; 
  • capacidade das empresas de petróleo e gás de gerar recursos ou de obter capital externo de outra forma para as operações de exploração, desenvolvimento e produção; 
  • prazos de concessão dos blocos de exploração no Brasil e em outros países; 
  • avanços tecnológicos que afetam a exploração, a produção, o transporte e o consumo de energia;
  • condições climáticas; 
  • regulamentações ambientais ou governamentais;
  • políticas fiscais; 
  • políticas adotadas por diversos governos relativas à exploração e ao desenvolvimento das reservas de petróleo e gás; e 
  • o ambiente militar, econômico e político mundial, incertezas ou instabilidades resultantes do aumento ou de hostilidades adicionais ou outras crises nas regiões produtoras de petróleo e gás natural ou outros atos de terrorismo nos Estados Unidos ou em outros países. 

Preços mais baixos do petróleo e gás natural, ou estimativas acerca da redução dos preços, poderão fazer com que as empresas exploradoras e produtoras de petróleo e gás natural cancelem ou reduzam suas atividades. Adicionalmente, existem diversos outros fatores que podem afetar as decisões de investimento, incluindo atividades de explorações malsucedidas. Na medida em que os preços do petróleo e gás diminuam, a exploração e produção das empresas de E&P, a demanda pelas manufaturas e serviços que pretendemos oferecer pode diminuir, causando um impacto adverso relevante nas nossas atividades.

- A deterioração do ambiente favorável de mercado, incluindo alteração das políticas de conteúdo local e de incentivos adotadas pelo Governo Federal, poderia causar uma redução na alocação de capital por parte dos nossos clientes nas manufaturas e serviços brasileiros, o que poderia afetar adversamente nossos resultados operacionais futuros. 

A política de conteúdo local, adotada pela Lei nº 9478, de 6 de agosto de 1997, conforme alterada, e regulamentação do Conselho Nacional de Política Energética – CNPE, exige que parte dos investimentos em bens de capital de empresas de E&P no Brasil sejam contratados com prestadores de serviços e produtores locais (“Conteúdo Local”). Inicialmente um fator voluntário nas licitações, a exigência de Conteúdo Local tornou-se um critério de qualificação na avaliação das ofertas para os blocos de exploração nos leilões da ANP – Agência Nacional do Petróleo. 

Atualmente, a exigência de Conteúdo Local mínimo para a construção de plataformas offshore cria condições favoráveis às empresas brasileiras similares à Lupatech em relação à competição internacional. Caso tal exigência de Conteúdo Local seja eliminada, fortes concorrentes do setor estabelecidos em mercados como Cingapura, China e Coreia do Sul poderiam aumentar seus esforços de venda no Brasil sem o desenvolvimento de uma plataforma de produção local e os nossos negócios poderão ser adversamente afetados pela participação de mercado e/ou as margens reduzidas. 

Adicionalmente, as leis e regulamentações brasileiras vigentes são estabelecidas para incentivar a expansão do setor de petróleo e gás natural, incluindo REPETRO, regime aduaneiro especial que permite a importação de bens destinados às atividades de pesquisa e lavra de petróleo e gás natural com suspensão dos tributos federais. 

Os sistemas que regulam as atividades de exploração e produção de petróleo são aplicados em cada país a partir de suas especificidades e necessidades locais. Por esse motivo, cada marco regulatório é diferente, com variações que comportam a adoção de um ou mais sistemas. No Brasil, a União é proprietária do petróleo, mas a extração pode ser feita por empresas ou consórcios mediante diversas formas de pagamento, como os royalties, que dependem do sistema vigente. O sistema de concessão regeu exclusivamente as atividades de exploração e produção de petróleo e gás natural até 2010, quando foram promulgadas as leis 12.276/10 e 12.351/10, que instituíram respectivamente os sistemas de cessão onerosa e partilha de produção. A partir de então, três sistemas passaram a conviver no país: concessão, partilha de produção e cessão onerosa.

O papel da Petrobras nos três sistemas:

Fonte: Site Petrobras – Marco Regulatório - http://www.petrobras.com.br/pt/nossas-atividades/areas-de-atuacao/exploracao-e-producao-de-petroleo-e-gas/marco-regulatorio/

Caso os incentivos e proteções adotados pelo Governo Federal venham a ser alterados ou cancelados, a nossa capacidade de gerar receitas poderá ser comprometida, resultando em efeitos adversos.

- As reservas de petróleo e gás na área do pré-sal podem ser menores do que as estimativas ou a sua extração pode ser tecnológica ou economicamente inviável. 

O volume real de petróleo e gás a serem extraídos das áreas do pré-sal não pode ser atualmente determinado. Existe grande incerteza acerca do tamanho das reservas, da curva de produção e do grau API (American PetroleumInstitute). Adicionalmente, há dúvidas acerca da capacidade das tecnologias existentes para a exploração e produção do petróleo e gás natural na área do pré-sal a custos razoáveis. Um dos pontos cruciais é a estabilidade dos poços devido à porosidade da área do pré-sal. A incerteza quanto aos recursos potenciais, aliada à dificuldade da extração do petróleo e gás da área do pré-sal devido à potencial inviabilidade tecnológica ou aos altos custos podem resultar em níveis abaixo do esperado em termos de produção no futuro, o que pode reduzir a demanda pelas nossas manufaturas e serviços. A demanda abaixo do esperado pelos navios e serviços poderá ter um efeito adverso significativo nos nossos resultados. 

- A forte concorrência nos nossos setores de atuação poderá reduzir nossa rentabilidade futura e enfraquecer nossa situação financeira. 

Estimamos a entrada de novos concorrentes em decorrência das recentes descobertas na área do pré-sal e devido aos incentivos governamentais para o desenvolvimento do setor. Dessa forma, esperamos operar no futuro em um ambiente altamente competitivo. Estimamos concorrer em termos de preço, qualidade dos serviços prestados e disponibilidade de manufaturas e serviços. Mudanças significativas nos incentivos para concentração de investimentos para a exploração, desenvolvimento e produção de petróleo e gás no Brasil, conforme determinado pela ANP – Agência Nacional do Petróleo na promoção da política de conteúdo local poderão aumentar a concorrência no futuro antes que sejamos capazes de obter níveis de produtividade globais. Essa concorrência poderá forçar a redução de preços de nossas manufaturas e serviços, o que poderá impactar negativamente receitas e rentabilidade. Caso não sejamos capazes de enfrentar tal concorrência, nossa rentabilidade poderá ser reduzida, representando um efeito adverso sobre nossos negócios. 

  • Importações mais baratas de outros países podem afetar negativamente os nossos negócios e nossa participação no mercado. 

Importações mais baratas de outros países, especialmente da China e Índia, podem afetar negativamente os nossos negócios e nossa participação de mercado. A concorrência dos produtores estrangeiros é uma ameaça e pode aumentar em função do prêmio doméstico em relação ao preço internacional. Quaisquer alterações nas tarifas aduaneiras ou medidas protecionistas podem resultar em um maior nível de importações no Brasil, resultando em pressões nos preços domésticos que poderiam afetar negativamente os nossos negócios.

h. Relacionados à regulação dos setores de atuação

O mercado no qual atuamos não é regulado, mas fornecemos manufaturas e serviços para clientes que operam em setores que são regulados pela ANP.

Alterações na regulamentação dos nossos setores de atuação poderão afetar desfavoravelmente os nossos negócios. A regulação do setor de petróleo e gás pela ANP, se alterada, por exemplo, em relação às exigências de Conteúdo Local mínimo exigido para manufaturas e serviços fornecidos para esta indústria em questão, poderão afetar os nossos negócios com exposição a este setor.

i. Relacionados aos países estrangeiros de atuação

Possuímos operações na Colômbia, através de controlada em conjunto, onde as alterações nas regras fiscais, regulamentação de setores, taxa de câmbio, regras de importação e/ou exportação, leis relativas à repatriação de capital, condições de competição, entre outros poderão afetar os nossos negócios neste país, e, também, a nós como um todo.

Ademais, a incerteza quanto à efetiva implementação de mudanças nas políticas ou normas mencionadas acima pode gerar insegurança econômica e, consequentemente, nos afetar adversamente.

Se um ou mais dos riscos descritos acima se concretizarem, poderemos sofrer perdas de bens, direitos ou contratos no país afetado, o que também poderá nos afetar adversamente.

Fatores de riscos relacionados à Colômbia

- As condições políticas, econômicas e sociais na Colômbia, onde a Companhia tem ativos, podem afetar desfavoravelmente seus negócios e o valor de mercado de seus valores mobiliários.

Os ativos da Companhia na Colômbia podem ser negativamente afetados por condições políticas, econômicas e sociais. Mudanças nas políticas atuais ou futuras, além de alterações na política econômica, podem abalar a confiança dos investidores e prejudicar os investimentos, reduzindo o crescimento econômico, além de provocar um efeito negativo concreto aos negócios da Companhia.

A Companhia está sujeita a riscos sociais, políticos e econômicos relativos às suas operações na colômbia.

A Companhia possui operações na Colômbia através de uma de suas controladas indireta. Assim, seus resultados operacionais e a posição financeira podem ser afetados negativamente pelas oscilações na economia, instabilidade política e ações governamentais locais, além de outros riscos, incluindo:

  • A imposição de controles de câmbio e preços;
  • A imposição de restrições nas exportações e importações de recursos naturais;
  • A oscilação da moeda local frente ao real e ao dólar norte-americano.

Riscos Macroeconômicos

O Governo Federal tem exercido e continua a exercer significativa influência sobre a economia brasileira. As condições políticas e econômicas no Brasil exercem impacto direto sobre os nossos negócios, nossa situação financeira, nossos resultados operacionais, bem como nossas perspectivas sobre o preço de negociação de nossas ações. Alterações de governos assim como alterações significativas de políticas e normas monetárias, fiscais, creditícias entre outras poderão afetar os nossos negócios. 

Inflação

A inflação e certas medidas tomadas pelo Governo Federal para contê-la, têm historicamente, provocado efeitos adversos sobre a economia brasileira e sobre o mercado brasileiro de capitais. Altos níveis de inflação no futuro poderão nos afetar adversamente, principalmente no que tange a custos de matérias primas e mão de obra, como também custo de financiamentos com taxas de juros atreladas à inflação. 

Percepção de Risco

Acontecimentos e a percepção de risco em outros países, principalmente em países emergentes, podem afetar adversamente o valor de mercado de valores mobiliários brasileiros e o preço das nossas ações. 

Cambial

A instabilidade na taxa de câmbio e a valorização do real frente ao Euro, Dólar Norte-Americano e outras moedas poderão ter um efeito adverso para nós. A moeda brasileira tem sofrido variações significativas em relação ao Dólar Norte-Americano e outras moedas fortes ao longo das últimas quatro décadas, em decorrência de diversas pressões. Planos econômicos foram implementados e se basearam em diferentes políticas cambiais, que resultaram em significativas variações na taxa de câmbio entre o Real e o Dólar Norte-Americano, por exemplo. 

Atuamos internacionalmente e estamos expostos a riscos cambiais decorrentes de exposições de algumas moedas, principalmente com relação ao Dólar Norte-Americano e ao Peso Colombiano.

O risco cambial decorre de operações comerciais e financeiras, ativos e passivos reconhecidos e investimentos líquidos em operações no exterior. Temos certos investimentos em operações no exterior cujos ativos líquidos estão expostos ao risco cambial. 

Atualmente, não possuímos hedges contratados para a nossa exposição em moeda estrangeira, principalmente para nosso endividamento (empréstimos e financiamentos, debêntures conversíveis, bônus perpétuos e perdas com derivativos, circulantes e não circulantes), que em 31 de dezembro de 2017, era 23,4 % (23,4% em 2016 e 19,6% em 2015) denominado em moeda estrangeira. Mormente, por serem obrigações de longo prazo, o custo de proteção cambial não é viável.

Vários instrumentos de proteção cambial para eventos de mais curto prazo requerem limites de crédito junto às instituições financeiras. Por não dispormos de tais limites, podemos não ser capazes de contratar as proteções necessárias ainda que em momentos aonde elas sejam necessárias ou desejáveis.

Taxas de Juros

A variação nas taxas de juros também pode nos afetar adversamente, bem como pode afetar adversamente o valor de negociação de nossas ações. 

O nosso risco de taxa de juros decorre de empréstimos de longo prazo. Os empréstimos captados a taxas variáveis nos expõem ao risco de taxa de juros e de fluxo de caixa. Os nossos empréstimos a taxas variáveis são principalmente denominados em Reais e tem como indexador a TR – Taxa Referencial.

O nosso risco relacionado à variação da taxa de juros é significativo apenas na medida em que possa causar o aumento do custo dos nossos financiamentos. Em 31 de dezembro de 2017, possuíamos R$19,11 milhões de endividamento com taxas de juros variáveis (R$ 15,31 em 2016 e R$ 14,69 em 2015).

Considerando o perfil do endividamento do Grupo em 31 de dezembro de 2017, o impacto sobre o resultado, depois do cálculo do imposto de renda e da contribuição social, com uma variação em torno de 0,25 pontos percentuais nas taxas de juros variáveis, considerando que todas as demais variáveis fossem mantidas constantes, corresponderia um aumento aproximado de R$ 32 mil no ano da despesa com juros. 

Riscos de Crédito 

O risco de crédito decorre de caixa e equivalentes de caixa, instrumentos financeiros derivativos, depósitos em bancos e instituições financeiras, bem como de exposições a crédito a clientes. Alterações significativas nas condições de crédito relacionadas aos itens acima mencionados poderão nos afetar materialmente, como por exemplo, a posição de caixa e equivalentes de caixa ser reduzida por inadimplência de clientes, comprometimento de recursos perante instituições financeiras que poderiam ser utilizados para financiar nossas operações, incapacidade de honrar compromissos relacionados a instrumentos financeiros derivativos, entre outros.

Última Atualização: 29 de maio de 2018

 
 
Lupatech S.A. - Todos os direitos reservados Política de Privacidade | Termos e Condições
Lupatech
2009-06-18T17:33:17